União Europeia propõe novas sanções ao petróleo russo diante de novos ataques

Forças russas dispararam fogo de artilharia contra cidades no leste da Ucrânia, matando e ferindo dezenas de civis, e começaram a invadir a siderúrgica bombardeada em Mariupol, onde dezenas de pessoas foram evacuadas após semanas de bombardeios na cidade.

Aumentando a pressão sobre Moscou, líderes da União Europeia pediu na quarta-feira que o bloco de 27 países proíba as importações de petróleo russo em uma nova onda de sanções.

“Garantiremos a eliminação gradual do petróleo russo de forma ordenada, de uma maneira que permita a nós e nossos parceiros garantir rotas alternativas de abastecimento e minimizar o impacto nos mercados globais”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen ao Parlamento Europeu em Estrasburgo, França. Ela também propôs que o Sberbank, o maior banco da Rússia, e dois outros grandes bancos sejam desconectados do sistema internacional de pagamentos bancários SWIFT.

Graças ao esforço de evacuação no fim de semana, 101 pessoas – incluindo mulheres, idosos e 17 crianças, a mais nova de seis meses – saíram dos bunkers sob a siderúrgica Azovstal de Mariupol para “ver a luz do dia depois de dois meses”, disse Osnat Lubrani, o Coordenador humanitário da ONU para a Ucrânia.

A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, disse na quarta-feira que as autoridades planejam continuar os esforços para evacuar civis de Mariupol e áreas próximas, se a situação de segurança permitir. Lubrani também expressou esperança de mais evacuações, mas disse que nenhuma foi resolvida.

Fonte
NewsNationNow
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar