Extração de petróleo e refino da Petrobras caem no 3º trimestre

A extração de petróleo e gás natural da Petrobras caiu 6,5% no 3º trimestre deste ano ante o mesmo período de 2021, enquanto o refino teve redução de 9,4%. Na comparação com o 2º trimestre de 2022, a queda foi de 0,3% e 1,2%, nessa ordem. Os dados constam em relatório publicado pela Petrobras nesta 2ª feira (24).

Segundo a estatal, a queda na extração de petróleo e gás se deu por conta da redução de sua parcela na produção dos campos de Sépia e Atapu, no pré-sal. O impacto foi de cerca de 43.000 barris de óleo equivalente por dia (unidade de medida usada para equiparar a produção de petróleo e gás natural).

Além disso, a parada para remoção de um navio-plataforma na costa do Espírito Santo e o declínio natural de campos com muitos anos de produção também afetaram o resultado.

Já a redução no refino se deveu a paradas programadas para manutenção de refinarias e à venda da refinaria de Mataripe (ex-Landulpho Alves, na Bahia). A produção da unidade foi reportada no relatório do 3º trimestre de 2021.

Apesar do resultado no refino, houve aumento de 4,7% nas vendas de combustíveis pela Petrobras a distribuidoras, na comparação com o 2º trimestre. O período de julho a setembro costuma ter maior demanda por óleo diesel por conta do plantio da safra de grãos e da maior atividade industrial, o que aumenta o transporte rodoviário de cargas.

De acordo com a Petrobras, a comercialização de diesel aumentou 4,6% entre o 2º e o 3º trimestres. Já na relação entre os primeiros 9 meses de 2021 e de 2022, as vendas caíram 6,8%.

“O principal fator foi o impacto do desinvestimento da RLAM [Refinaria Landulpho Alves], concluído em novembro de 2021. Também contribuíram para o recuo das vendas o aumento das entregas por outros produtores nacionais e importadores bem como a redução do consumo de diesel para geração termelétrica”, escreveu a estatal.

A Petrobras se refere à crise hídrica de 2021, que aumentou o consumo de combustíveis para geração de energia por termelétricas, uma vez que houve redução no nível dos reservatórios de água das usinas hidrelétricas.

No caso da gasolina, pesou a queda no preço médio ao consumidor depois da redução de impostos estaduais, afirma a Petrobras. As vendas do combustível cresceram 8% ante o 2º trimestre, quando a gasolina bateu recorde de preço e o álcool ficou mais competitivo.

Na comparação com o 3º trimestre de 2021, houve queda de 11,2% no mercado de gasolina. No acumulado de 9 meses, a redução é de 4,5%.

Balança comercial

A exportação líquida da Petrobras caiu 78,7% em relação ao 2º trimestre de 2022 e 76,9% ante o período de julho a setembro de 2021. Isso porque a Petrobras vendeu menos petróleo e óleo combustível a outros países, ao mesmo tempo em que importou mais diesel e gasolina.

“Os menores volumes de exportação de petróleo e óleo combustível são explicados por exportações que ficaram em andamento para o 4T22”, disse a estatal.

O relatório de produção e vendas da Petrobras antecede os resultados trimestrais. No 2º trimestre de 2022, a estatal reportou queda produção de petróleo e gás, com aumento no refino. As vendas de combustíveis aumentaram 1%, em um período de preços altos. Registrou lucro líquido de R$ 54,3 bilhões e distribuiu R$ 87,8 bilhões em dividendos a acionistas.

Fonte
BiodieselBR
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar