AIE alerta para oferta ainda mais apertada sem acordo da Opep+

A oferta global de petróleo deve ficar “significativamente” apertada, a menos que a aliança Opep+ resolva o impasse e concorde em aumentar a produção, alertou a Agência Internacional de Energia.

Devido à disputa entre a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, a Opep+ deve manter os níveis de produção inalterados no mês que vem, mesmo com a recuperação do consumo de combustíveis do impacto da pandemia e com o pico da demanda no verão do hemisfério norte.

O impasse do grupo ameaça criar um “déficit crescente de oferta”, com “o potencial de que os altos preços dos combustíveis estimulem a inflação e prejudiquem a frágil recuperação econômica”, disse a AIE em relatório mensal. O petróleo Brent é negociado perto do maior nível em dois anos, acima de US$ 75 o barril.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados vinham repondo gradualmente o grande volume de produção retirado do mercado durante a pandemia, mas a disputa entre os dois países do Oriente Médio – centrada em torno da cota de produção dos Emirados Árabes Unidos – atrasou o processo.

O impasse chega em um momento particularmente inoportuno, segundo o relatório da AIE. O excesso de petróleo acumulado durante a pandemia foi eliminado, e os estoques agora estão abaixo dos níveis médios.

Ao mesmo tempo, a demanda mundial deve se recuperar em 5,4 milhões de barris por dia este ano em relação à queda sem precedentes vista em 2020.

“O crescimento econômico global robusto, o aumento das taxas de vacinação e as medidas de relaxamento do distanciamento social se combinarão para sustentar uma demanda global por petróleo mais forte no restante do ano”, disse a agência com sede em Paris, que assessora a maioria das principais economias.

Fonte
MoneyTimes
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar