A demanda por gasolina na Índia deve parar enquanto os casos de COVID-19 aumentam para níveis recordes

A forte recuperação da Índia no consumo doméstico de gasolina provavelmente será um obstáculo no curto prazo, em meio a novos bloqueios em vários estados, enquanto o país trava uma batalha contra o COVID-19.

Novos bloqueios foram impostos em vários estados da Índia, com a maior restrição colocada em Maharashtra de 14 de abril até 1º de maio, afetando aproximadamente 125 milhões de pessoas no estado.

Mumbai, a capital de Maharashtra, no sudoeste da Índia, viu a atividade impulsionadora – um indicador da demanda por gasolina – despencar para 70% abaixo dos níveis básicos em 10 de abril, o mais baixo desde julho de 2020 e nitidamente inferior aos 40% acima dos níveis básicos que eram registrado no início de fevereiro, mostraram os dados da S&P Global Platts.

Em 19 de abril, a Índia relatou 273.810 novos casos de COVID-19, um recorde, de acordo com dados da John Hopkins University. A Índia em 12 de abril já havia ultrapassado o Brasil como o segundo país mais atingido pelo vírus no mundo.

“O bloqueio no estado é bastante sério. O estado é um dos mais ricos, o que representa uma boa quantidade de direção”, disse um comerciante de gasolina de Cingapura.

Enquanto isso, a capital da Índia, Nova Delhi, também impôs um bloqueio de seis dias a partir da noite de 19 de abril, com o aumento de casos de COVID-19, pressionando a infraestrutura do hospital, informou a mídia local.

Com a redução da atividade motriz na Índia, a demanda por gasolina deve cair para 701.000 barris por dia em abril, queda de cerca de 11,51% em relação ao mês anterior, com esperanças de recuperação ganhando força apenas a partir de junho.

Fonte
SPGlobal
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar