Distribuidoras promovem nova campanha pela volta do diesel B10

Em meio à disputa pela inserção dos novos biocombustíveis na matriz de transporte, entidades do mercado de combustível lançaram uma nova campanha pela redução da mistura de biodiesel, mantendo a obrigação em 10% (B10).

Nota assinada IBP e Brasilcom (distribuidoras), Abicom (importadores), Fecombustíveis (varejo), Anfavea (indústria automobilística), além da Conferência Nacional dos Transportes (CNT) atribui o pedido pela manutenção do B10 às incertezas técnicas em relação ao aumento da parcela de biodiesel nos motores a diesel.

“(..) Os testes realizados não confirmaram a viabilidade da utilização de teores até B15. A maioria dos relatórios apresentados pelas montadoras evidenciou preocupações quanto ao aumento do teor de biodiesel no diesel”, diz a nota. 

A Aprobio, de produtores de biodiesel, classificou a posição emitida nesta sexta (30) de “fake news”, a Abiove, da indústria de óleo de soja, circulou um documento sobre “mitos” no setor de biodiesel.

O pano de fundo da disputa são revisões regulatórias e na política do mercado de combustíveis, que vão além da especificação técnica do biodiesel.

O B10 vigorou por quatro meses este ano, nos leilões L79 e L80, em razão dos altos preços do biodiesel. Para o L81, o percentual foi elevado pelo governo federal para 12%, 1 pp abaixo da previsão original para o ano, de 13%.

Fonte
epbr
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar