Que fatores podem levar a falta de diesel – Diesel Economics

Nos últimos meses paira no mercado uma preocupação com uma possível falta do combustível. Para entender se isso é uma realidade, é preciso se aprofundar na raiz do problema.

O Brasil, apesar de grande produtor mundial de petróleo, possui grande dependência de refino proveniente de outros países para suprir o abastecimento nacional. Isso representa em torno de 30% do que é consumido aqui.

Naturalmente, no segundo semestre do ano existe uma demanda mundial aumentada em comparação com o primeiro semestre, o que ocorre em virtude da chegada do verão no Hemisfério Norte e o aumento da frequência de viagens de longa distância.

Além disso, com o irrompimento da Guerra declarada pela Rússia à Ucrânia em fevereiro, houve uma série de retaliações principalmente da Europa para evitar a compra de combustíveis do país. Isso fez com que o fornecimento apresentasse baixa e, com isso, o desequilíbrio da balança.

Como se não bastasse, de junho a novembro ocorre nos Estados Unidos e no Caribe a temporada de furacões, que eventualmente ocasionam em fechamentos de refinarias, podendo limitar ainda mais a oferta de diesel.

No cenário global já existe falta de diesel, inclusive em países como Estados Unidos, por exemplo, que representa nossa principal fonte de importação. Na Argentina não é diferente, e, de forma surpreendente, chegou a ser implementada uma política que precifica de forma diferente o abastecimento de diesel para estrangeiros.

Com isso, espera-se que haja sim uma baixa disponibilidade, porém, é visto que não deve ocorrer de forma generalizada, e sim em regiões pontuais e principalmente no interior, onde a logística para abastecimento é mais dificultada.

Anderson Moraes – Diesel Economics

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar