Vendas de biodiesel atingem alta recorde

A incorporação de biocombustíveis em misturas de óleo diesel atingiu seu nível mais alto no ano passado em cerca de 3,025 milhões de toneladas desde que o regime de cotas foi introduzido em 2007.

A UFOP viu isso como uma confirmação de que o objetivo de redução de gases de efeito estufa, que foi aumentado de 4 para 6% em 2020, seria facilmente atingido.

A disponibilidade adequada de óleo vegetal hidrotratado (HVO) teve um papel importante nisso, segundo a organização.

A norma de combustível diesel, DIN EN 590, limita a taxa de incorporação de éster metílico de ácido graxo (biodiesel) a um máximo de 7% por volume. De acordo com a norma, o HVO pode ser misturado em até 26%.

A UFOP estimou a participação do biodiesel no cumprimento da cota em aproximadamente 2,46 milhões de toneladas e a do HVO em aproximadamente 0,56 milhões de toneladas.

A associação assinalou que os requisitos de cotas foram facilmente atendidos, apesar do fato de que as cotas não puderam ser transferidas para 2020 de anos anteriores. Essas e outras opções para atender às obrigações de cotas podem e serão aplicadas em 2021.

Nesse contexto, a UFOP preconizou que a cota de emissão de GEE já este ano seja elevada para 6,5%.

A UFOP também destacou fortemente a necessidade de medidas para interromper o uso de óleo de palma na produção de biocombustíveis e de créditos para limitar as emissões de gases de efeito estufa. Esta medida aumentaria o potencial nacional e europeu de matéria-prima, em vez de promover as exportações de biodiesel à base de óleo de colza.

A organização saudou o fato de que o governo alemão estava fazendo uso da autorização do Regulamento Delegado da Comissão da UE (2019/807) para interromper a concessão de créditos para biocombustíveis à base de óleo de palma a partir de 2026.

Fonte
Biofuels
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar