Refino de petróleo dentro da Petrobras entra nas metas do novo governo com o objetivo de se tornar autossuficiente, especialistas rebatem

O presidente Lula defendeu que o Brasil se torne autossuficiente em refino de petróleo, e a Petrobras (PETR3 e PETR4) terá um papel central nesse objetivo. Especialistas apontam que o processo é demorado e caro para o estado e pode impactar negativamente as empresas estatais.
Se o refino de petróleo acontecer, seria uma mudança na política atual da Petrobras, que está mais focada em maximizar os lucros de grandes campos em águas profundas, conhecidos como pré-sal, e desinvestir em negócios menos rentáveis.

Até por isso, a estatal tem vendido refinarias. Atualmente, a Petrobras possui 12 das 20 refinarias existentes no país e já vendeu três, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).

O refino de petróleo autossuficiente no Brasil é possível?

A capacidade de refino de petróleo do Brasil deve crescer 7%, para mais de 2 milhões de barris por dia até 2032, mas a maior demanda pelo combustível manterá as importações em alta, segundo estudo do Ministério de Minas e Energia.

Rodrigo Leão, coordenador técnico do Instituto Estratégico do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (Ineep), disse recentemente à mídia que a expansão específica de uma refinaria sozinha não resolve o problema no médio prazo e que qualquer expansão por meio de novas unidades requer planejamento. Segundo ele, é preciso começar agora para estar pronto em cinco anos.

A atual administração da Petrobras planeja gastar quase US$ 11 bilhões em refino nos próximos cinco anos, dos US$ 78 bilhões projetados para esse período. O senador Jean-Paul Plates, que foi indicado para chefiar a Petrobras no terceiro governo de Lula, disse que a campanha poderia vir por meio da expansão das refinarias existentes, em vez de construir novas refinarias.

Petrobras x refino de petróleo

Fundada em 1953 pelo então presidente, Getúlio Vargas, do Brasil, a Petrobras deteve o monopólio de várias atividades relacionadas ao petróleo por 44 anos. Essa exclusividade terminou em 1997 com a promulgação da Lei do Petróleo, que permitiu a entrada no mercado de outras empresas com as mesmas atividades das estatais. O tamanho da Petrobras e a presença do governo por trás dela são alguns dos fatores que acabam dificultando a entrada de novos fornecedores de combustíveis no país, seja pela concorrência em capacidade ou preço.

Brasil e o refino do petróleo

O refino de petróleo é a área da indústria do petróleo que converte o petróleo bruto em seus derivados, como gasolina, diesel, querosene, lubrificantes, etc. O Brasil, apesar de ser considerado autossuficiente em petróleo, ou seja, produzir mais da commodity do que consumir, ainda importa o combustível. A produção brasileira responde por aproximadamente 80% do consumo interno. Os 20% restantes vêm de importadores do mercado de suplementos.

Segundo a ANP, o volume total de petróleo refinado no país em 2022 ultrapassará 89 milhões de metros cúbicos. O volume de óleo refinado importado da origem ultrapassa 10 milhões de metros cúbicos.

O refino do Brasil depende de países estrangeiros, pois as refinarias do país não receberam avanços tecnológicos e investimentos em manutenção suficientes nos últimos anos para dar conta do aumento da capacidade de refino. Várias empresas trabalham com a Petrobras para extrair petróleo e gás das reservas brasileiras. Mas, quando se trata de refino de petróleo, a estatal é efetivamente a única do país a fornecer combustível para cá.

Fonte
ClickPetróleoeGás
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar