Preços do petróleo caem com relato de aumento de produção da Arábia Saudita

Os preços do petróleo despencaram nesta quinta-feira revertendo ganhos anteriores em uma sessão volátil após uma reportagem dizendo que a produção de petróleo da Arábia Saudita em breve ultrapassará 10 milhões de barris por dia pela primeira vez desde o início da pandemia de Covid-19.

A reportagem, da TV saudita Al Arabiya, veio depois que o país, junto com outros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, concordaram em cumprir os aumentos de produção previamente acordados.

O petróleo Brent caiu 1,45 dólar, ou 1,8%, para fechar em 80,54 dólares o barril. Mais cedo, o Brent subiu para 84,49 dólares o barril.

O petróleo dos EUA (WTI) caiu 2,05 dólares, ou 2,5%, para fechar em 78,81 dólares o barril, bem abaixo da máxima da sessão de 83,42 dólares.

Desde o fechamento de terça-feira, Brent e WTI caíram cerca de 5% e 6%, respectivamente.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, coletivamente conhecidos como Opep+, concordaram em manter os planos de aumentar a produção de petróleo em 400.000 barris por dia (bpd) por mês, disseram fontes, apesar dos apelos dos Estados Unidos de oferta extra para aliviar a alta dos preços.

A Arábia Saudita já rejeitou os pedidos de aumentos mais rápidos na oferta de petróleo da Opep+. Mas a reportagem da TV Al Arabiya disse que os sauditas chegarão a 10 milhões de barris diários em dezembro.

“Uma grande posição (especulativa) estava se acumulando” antes da Opep, disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia na Mizuho.

Fonte
MoneyTimes
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar