Emirados aceleram planos para expandir produção de petróleo

Os Emirados Árabes Unidos decidiram acelerar um plano para aumentar a capacidade de produção de petróleo, segundo pessoas com conhecimento do assunto, em uma tentativa de lucrar com suas reservas antes da transição mundial para uma energia mais limpa.

A Abu Dhabi National Oil, que bombeia quase todo o petróleo dos Emirados, quer conseguir produzir 5 milhões de barris por dia até 2025, cinco anos antes do prazo estabelecido anteriormente, segundo as pessoas.

A nova meta será difícil de alcançar e pode elevar as despesas de um projeto já estimado em bilhões de dólares, de acordo com as fontes.

A Adnoc e o governo dos Emirados Árabes Unidos planejavam antecipar o objetivo para 2027, mas no fim decidiram pelo prazo de 2025, disseram.

Os Emirados Árabes Unidos tentam vender mais petróleo e gás natural enquanto os preços dos combustíveis fósseis permanecem altos. O petróleo subiu para US$ 120 o barril após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Embora tenha caído desde junho para cerca de US$ 90, ainda está muito acima dos custos de produção dos Emirados Árabes Unidos.

“À medida que abraçamos a transição energética e preparamos os nossos negócios para o futuro, continuaremos a explorar oportunidades potenciais que podem desbloquear ainda mais valor, liberar capital e aumentar os retornos”, disse a Adnoc em comunicado à Bloomberg. A empresa não confirmou se a meta para 2030 foi alterada.

O Ministério de Energia dos Emirados Árabes Unidos não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Controlada pelo governo, a Adnoc pediu às empresas internacionais parceiras em seus campos petrolíferos que aumentem os níveis de produção de longo prazo em 10% ou mais, segundo as pessoas. Se os Emirados Árabes Unidos conseguirem atingir a meta de 2025, poderão tentar aumentar ainda mais a capacidade para 6 milhões de barris diários até o fim da década, afirmaram as fontes.

Os Emirados Árabes Unidos são o maior produtor de petróleo da Opep depois da Arábia Saudita e do Iraque. O país informa que tem capacidade para produzir pouco mais de 4 milhões de barris por dia. Mas está impedido de atingir esse nível por causa dos limites impostos pelo cartel, que tenta equilibrar o mercado global.

Metas verdes

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, um grupo de 23 nações liderado pela Arábia Saudita e pela Rússia, devem manter os limites de produção pelo resto do ano.

Os sauditas disseram que gostariam de estendê-los com um novo acordo até 2023.

Os Emirados Árabes Unidos elevam sua capacidade de produção de petróleo ao mesmo tempo em que tentam neutralizar as emissões de carbono até 2050, em parte investindo em energia solar e combustíveis mais limpos, como o hidrogênio.

Assim como a Arábia Saudita, os Emirados disseram que a demanda por petróleo permanecerá alta por décadas, e os principais produtores precisam investir mais em exploração para evitar escassez de oferta no futuro.

Os dois países estão entre os poucos produtores que investem na expansão da produção. A Arábia Saudita busca elevar a capacidade de petróleo bruto de 12 milhões por dia para 13 milhões até 2027.

Fonte
MoneyTimes
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar