Furacão Ian paralisa 11% da produção de petróleo do Golfo do México

Aproximadamente 11% da produção atual de petróleo e 8,56% da produção de gás natural no Golfo do México foram paralisadas por causa do furacão Ian, informou nesta terça-feira (27) a Agência de Segurança e Fiscalização Ambiental (BSEE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, em Nova Orleans.

O trabalho da Agência envolve o monitoramento de plataformas offshore de petróleo e gás no local, enquanto ocorre um processo de evacuação dos locais por causa da tempestade.

Segundo o comunicado, a BSEE trabalha com operadores offshore e outras agências estaduais e federais até que as operações voltem ao normal e a tempestade não seja mais uma ameaça.

Com base nos dados dos relatórios dos operadores hoje, ocorreu a evacuação de um total de 12 plataformas de produção, o que representa 2,3% das 521 plataformas tripuladas no Golfo do México.

As plataformas de produção são as estruturas offshore a partir das quais o petróleo e o gás natural são produzidos e transportados para a costa.

Ao contrário das sondas de perfuração, que normalmente se deslocam de um local para outro, as instalações de produção permanecem no mesmo local durante todo o projeto.

Furacão

O furacão Ian, que atingiu Cuba nesta madrugada, deve chegar amanhã ao Estado americano da Flórida já elevado à categoria 3, com ventos de mais de 200 km/hora. Na tarde desta terça-feira, o presidente Joe Biden disse a jornalistas que a população das áreas de risco devem atender a apelos das autoridade, caso sejam feitos pedidos de evacuação.

“As previsões podem mudar, mas por enquanto os especialistas dizem que este pode ser um furacão muito grave, com risco de vida e um impacto devastador”, afirmou Biden em coletiva.

O presidente dos Estados Unidos disse ainda que seu governo está enviando centenas de funcionários para ajudar a lidar com as consequências da tempestade.

A trajetória projetada do furacão Ian mudou ligeiramente hoje, o que deve afastar um pouco a tempestade da Baía de Tampa e atingir áreas mais ao sul da região, como as comunidades costeiras de Sarasota e Cape Coral.

O Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) prevê que o Ian deve trazer níveis históricos de maré de tempestade nessas áreas.

Para o sudeste da Flórida, incluindo Miami, o alerta é de tempestade tropical. O diretor de gerenciamento de emergências da Flórida, Kevin Guthrie, previu hoje que algumas regiões do estado podem ficar sem energia por até uma semana.

Fonte
InfoMoney
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar