Distribuidoras compram 1.050,3 mil m³ de biodiesel para o B10 no 3º bimestre

Depois de uma série interminável de percalços, o 79º Leilão de Biodiesel finalmente foi encerrado hoje por volta das 15h13. No total, o certame fechou a compra de 1.050,3 milhares de m³ que serão usados para garantir o mercado da mistura obrigatória durante o terceiro bimestre. Isso faz deste o pior leilão de biodiesel desde o malfadado L72 quando – sem saber direito o que esperar do mercado durante a pandemia do novo coronavírus – tanto distribuidoras quanto usinas cometeram uma sequência de equívocos ao dimensionar a demanda de diesel o que acabou precipitando tanto o primeiro corte na adição obrigatória da história quanto à necessidade de convocar um leilão complementar de forma emergencial.

Não era para ter sido assim. Originalmente, a expectativa do mercado era que o pregão movimentasse 1.250 mil m³ de biodiesel. Isso faria deste o segundo melhor leilão da história – atrás somente dos 1.305,7 milhares de m³ do L78.

Todos já esperavam um leilão um pouco mais complicado do que o normal já que marcaria a estreia da rodada exclusiva para as menores usinas habilitadas (MUHs). Mas tudo correu em relativa normalidade até a Etapa 3A. Foi aí que a coisa desandou. Assustado com os preços do biodiesel, o governo federal paralisou o pregão e acabou determinando a redução da mistura obrigatória de 13% para 10%.

Fonte
BiodieselBR
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar