China compra petróleo venezuelano adulterado para driblar sanção

Este talvez seja o segredo menos bem guardado do mercado de petróleo: milhões de barris venezuelanos embargados pelos EUA têm chegado discretamente à China.

Nesse jogo de gato e rato, o petróleo é transferido de navio para navio, com envolvimento de empresas de fachada e sinais de satélite silenciados. Outra estratégia envolve “dopar” o petróleo com aditivos químicos e mudar sua descrição na documentação para que possa ser vendido como um produto totalmente diferente, sem vestígio das raízes venezuelanas.

Faturas e e-mails lidos pela Bloomberg mostram até que ponto alguns comerciantes de combustível chegam para disfarçar a origem do petróleo e levá-lo para a Ásia, de modo que as refinarias chinesas representam uma tábua de salvação para o combalido setor petrolífero da Venezuela.

Autoridades dos EUA não podem proibir empresas chinesas ou internacionais de comprar petróleo venezuelano, mas podem pressioná-las financeiramente ao impedir que façam qualquer negócio com companhias americanas. Por isso, medidas complexas são tomadas para disfarçar a origem do petróleo.

A fiscalização do embargo americano é difícil, de acordo com Scott Modell, diretor da Rapidan Energy Advisors. “Há tantas maneiras de contornar as sanções”, disse ele. “Há muita gente disposta a correr o risco porque dá para ganhar muito dinheiro.”

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar