Biden deve ir à Arábia Saudita para pedir aumento da produção de petróleo

GUERRA NA UCRÂNIA

Assessores de Joe Biden avaliam uma viagem do presidente dos EUA à Arábia Saudita para convencê-los a bombear mais petróleo, informa o Axios. A viagem reforçaria a gravidade da crise energética global com a invasão da Ucrânia pela Rússia.

— As relações entre EUA e Arábia estão estremecidas desde o assassinato do jornalista do Washington Post, o saudita Jamal Khashoggi, no consulado da Arábia em Istambul, na Turquia, em outubro de 2018. A CIA acredita no envolvimento direto no crime do líder saudita, o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman.

— Apesar da urgência, as discussões sobre a visita ainda estão em fase embrionária, e as autoridades alertaram que a viagem pode não acontecer.

— O fato é que o aumento da demanda de petróleo e as restrições da produção estão fazendo os EUA se aproximarem de desafetos. Nesse fim de semana, autoridades dos EUA foram à Venezuela para se reunir com o governo do presidente Nicolás Maduro. Há quem acredite que o petróleo venezuelano pode substituir o óleo russo.

— Sanções contra as exportações de petróleo da Rússia, incluindo uma possível proibição de importação de petróleo russo pelos EUA, elevariam os preços mundiais e alimentariam a inflação doméstica — uma pedra no sapato de Biden às vésperas das eleições legislativas de meio de mandato, que vão ocorrer em novembro.

— Por isso, assessores de Biden querem preservar as opções para o presidente, incluindo a chance de fazer as pazes com os sauditas e convencê-los a aumentar sua produção de petróleo.

— Na manhã desta segunda (7/3), o Brent para maio atingia US$ 125,66, aumento de mais de 6% sobre o fechamento de sexta (4/3). Já o WTI para abril chegava a US$ 123,09, com percentual de alta similar sobre o fechamento anterior.

Fonte
epbr
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar