ANP reduz mistura obrigatória no 6º bimestre para 11%

Teremos B11 no último bimestre de 2020. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) acaba de confirmar a redução da mistura por meio de um aviso publicado em seu portal.

O novo corte na mistura obrigatória acontece depois dos fabricantes terem colocado 1.208,2 mil metros cúbicos de biodiesel. A ANP havia antecipado ao setor que paralisaria o leilão para analisar a relação entre oferta e demanda de biodiesel entre as duas rodadas da Etapa 2 do processo.

No ponto em que a disputa foi paralisada pela agência, as usinas já se comprometeram com os volumes ofertados e não podem mais alterá-los. Entretanto, elas ainda podem ajustar os preços pedidos.

O valor médio pedido pelas usinas participantes estava em R$ 5.737,71 por m³. Esse preço está somente 0,2% abaixo dos Preços Máximos de Referência (PMRs) definidos pela ANP. Tipicamente, os fabricantes baixam substancialmente os valores pedidos pelo biodiesel justamente na segunda rodada da disputa.

Ajustada

A redução da mistura não é bem uma surpresa. Embora os fabricantes venham trabalhando pela manutenção do B12, na reunião do Comitê de Monitoramento do Abastecimento de Biodiesel (CMAB) do último dia 24 parecia haver uma boa dose de consenso de redução.

A questão era se o mercado iria para B11 ou se teríamos mais um bimestre de B10.

Fonte
BiodieselBR
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar